• Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Siga-nos
Please reload

Tags

January 17, 2017

March 29, 2016

Please reload

Posts recentes

Projeto bebês de risco

March 31, 2016

1/10
Please reload

Posts em destaque

Transtornos do Espectro do Autismo

April 17, 2014

Vamos novamente tecer algumas considerações sobre essa situação frequente, abordando principalmente seu conceito e a nova classificação.

A palavra “autismo” deriva do grego “autos”, que significa “voltar-se para si mesmo”. A primeira pessoa a utilizá-la foi o psiquiatra austríaco Eugen Bleuler em 1911. A palavra autismo referia-se a um quadro de “ensimesmar-se”, tornando-se alheio ao mundo social – fechando-se em seu mundo.Em 1943 o psiquiatra infantil norte americano Leo Kanner estudou com mais atenção 11 pacientes e observou neles o autismo como a característica mais marcante e usou a expressão “Distúrbio Autístico do Contato Afetivo” para descrever o quadro, que se caracterizava por isolamento extremo, comportamento obsessivo e estereotipias.

O autismo e as condições relacionadas ao espectro do autismo são condições crônicas, cujas manifestações comportamentais incluem déficits qualitativos na interação social e na comunicação, padrões repetitivos e estereotipados de comportamento e um repertório restrito de interesses e atividades. De acordo com a classificação vigente desde 2013, o DSM – 5, os transtornos antes classificados como Autismo infantil, Transtorno Invasivo do Desenvolvimento e Síndrome de Asperger, passaram a ser denominados Transtornos do Espectro do Autismo (TEA).A epidemiologia dos TEA corresponde a aproximadamente 1 caso em cada 80 a 100 crianças, predominando no sexo masculino. Essa prevalência vem aumentando nas últimas décadas, especialmente pela realização de diagnósticos mais precoces e mais acurados, associada a uma melhor e mais ampla definição dos critérios diagnósticos.O diagnóstico dos TEA é baseado principalmente no quadro clínico do paciente, não havendo ainda um marcador biológico que o caracterize, ou seja não há exame complementar que confirme ou afaste o diagnóstico.Essa avaliação diagnóstica deve ser preferencialmente realizada por uma equipe multidisciplinar, composta pelo médico neuropediatra ou psiquiatra da infância, neuropsicólogo, fonoaudiólogo e terapeuta ocupacional, que vão além de dar o diagnóstico, montar o melhor plano terapêutico para a criança.

Hoje ainda não se pode prevenir o autismo, mas o diagnóstico precoce e uma intervenção comportamental intensiva são capazes de melhorar os resultados funcionais de muitas crianças.

Um abraço,

Dra Alessandra

Please reload

CLÍNICA VIVERE

The Square Open Mall – Granja Viana
Rodovia Raposo Tavares – km 22,5
Bloco F, Salas 106 e 107
 
Tel 11- 2898-9851
WhatsApp 11- 9 8876-2992
contato@vivereclinica.com
  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Facebook Ícone